Dia da Toalha

Ser nerd costumava ser um saco. Primeiro pela falta de informação e dificuldade em encontrar as coisas. Segundo, pelo preconceito e  bullying social, pois quadrinhos, videogame, jogos de RPG e computadores pertenciam aos marginados.

Pais e mestres, normalmente, não entendiam e criticavam. Quando muito, toleravam.  Incentivos eram raros. Enfim,  não havia futuro em ser nerd.

Eis que trinta anos depois tudo mudou. A faxineira da firma sabe quem é o Wolverine, todos têm acesso à tecnologia de ponta e os nerd supremos: Gates, Jobs, Zuckerberg, se tornaram superstars. Saímos das sombras para a superfície. Eu, nerd véio, nunca imaginei que um dia chegaríamos onde estamos.

E agora até andam dizendo que ganhamos um dia: O Dia do Orgulho Nerd. O que não me diz coisa alguma e me soa exagerado. Os dias de orgulho existem para tornar as pessoas mais sensíveis a certas questões, sobretudo relacionadas a grandes injustiças históricas. Por isso, reconheço o conceito por trás do dia dos índios, negros, mulheres, gays. Ter tomado tapa na cabeça por gostar de Super Powers não se encaixa na parada.

Na verdade não existe um dia nerd. O que existiu foi um bando de entusiastas de Star Wars querendo atribuir o movimento Jedi como expressão suprema da cultura nerd. Escolheram o dia 25 de Maio por conta da estreia do primeiro filme, que se deu em 1977.

O que hoje existe, e isso acho interessante, é um bando de malucos celebrando merecidamente a vida e obra de Douglas Adams. Essa é a verdadeira representação do dia 25 de Maio. E nome correto  da data é  o Dia da Toalha.

o-guia-do-mochileiro-das-faláxias-2005

 Promo do filme o Guia do Mochileiro das Galáxias, baseado no livro. Importante lembrar que : “Algumas respostas não possuem perguntas”

Adams é incrível por nos mostrar a natureza humana através da nossa estupidez. Em sua obra mais conhecida: os livros do Guia do Mochileiro da Galáxias, Adams mostra toda a humanidade ( representada na figura do humano Arthur Dent ) contra o universo, que não está nem aí para gente, mas do qual acreditamos ser o centro.  O verdadeiro drama humano.

Um exemplo de como Adams aborda a vida; no livro, um megacomputador é construído para dar a resposta à pergunta mais importante de todos os tempos: qual o sentido da vida, do universo e tudo mais ? Depois de milhares de anos computando, a resposta finalmente é revelada: 42. Ninguém entende. O que força a construção de um novo supercomputador que processará a resposta por mais alguns milhares de anos, a fim de torná-la compreensível. Mas isso não é um terço da história sequer…

O conceito acima é  genial porque, no fim, esse loop maluco é o destino de todo filósofo, matemático ou catedrático que tenta entender o incompreensível. O livro  está repleto de conceitos parecidos. Ele discorre sobre a natureza humana, nossa relação com o universo e o tempo. Nossa estupidez, arrogância e visão de mundo. Tudo extrapolado e com senso de humor típico inglês. Ao final, temos um extenso tratado sobre a espécie humana.

 

E o que tudo isso tem a ver com toalhas ?

 

Em dado capítulo do Guia do Mochileiro, são apresentadas as diversas virtudes do uso da toalha. A passagem é hilária, insana e  surreal. Por isso, se tornou um ótimo exemplo do trabalho de Adams.

Em 25 de Maio de 2001, uma comunidade de internet promoveu uma brincadeira entre os fãs: carregar uma toalha durante o dia inteiro. Seja usando-a como capa, ou turbante, ou como bem se entendesse. A galera curtiu. E desde então fãs ao redor do mundo usam a toalha para expressar sua admiração pelo trabalho do autor.

 

Screen shot 2015-05-25 at 10.36.04 AM

 Resultado da gugada ” imagens do dia da toalha”.  Clique para ampliar

 O nerd tem uma curiosidade acima da média e grau de obssessão idem. Embora isso possa se manifestar em qualquer área, costuma florescer onde reina a imaginação. As duas obras, Star Wars e Mochileiro são grandes expressões da cultura nerd, mas creio que a segunda a representa muito mais, por apresentar uma preocupação com as minúcias que beira, não raro, a compulsão.

Star Wars é a atualização suprema da jornada do herói para nossa era. Tem enorme valor histórico e estético. E claro, mercadológico.  E arrebanhou multidões por conta de sua originalidade na época e tal. Mas comparado ao Guia, ouso dizer, perde em imaginação.

Desejo aqui um feliz dia da toalha e obrigado mr. Douglas Adams por tudo.

A todos nós, surfermos a onda nerd enquanto ela durar. Pois se a progressão se mantiver, um dia todos serão nerds. E nesse dia ( tal qual o terrível plano de Síndrome, em Os Incríveis ), ninguém o será.

Logo menos tem mais

 

Comentários