Guerra Civil ou; Impeachment nos Filmes de Super Heróis

Marvel Civil War poster

Fui assistir Capitão América 3. Estava lá eu, feliz, quando de repente,  me jogam fora o bom
enredo para colocar porradaria.  Pensei comigo: alguém devia dar um Impeachment nesses filmes de heróis.

A queda na venda de quadrinhos leva muita gente em Roliúde, dentro e fora na verdade, a acreditar que os filmes de heróis estejam com os dias contados. Podem até estar, mas não por isso. O que pode aniquilar os filmes de heróis é não os deixarem ser outra coisa. Até a metade, Capitão América 3 é uma trama de ação internacional da qual não conseguimos desgrudar da cadeira. Depois, vira qualquer coisa para que se enquadre  à cronologia da Marvel no cinema.  Assim, um filme COM heróis se transformou em um filme DE heróis. E a tal esperada Guerra Civil descambou em Secret Wars.

 

Secret Wars

Um ser onipotente junta todo mundo num planeta nos cafundós para uma batalha nada a ver. Conceito ok para 84, quando o mundo nerd era criança. Hoje, daria para elaborar mais um pouquinho

Hoje, os super  heróis estão mais populares do que nunca. A queda nas vendas de quadrinhos mostram que as pessoas não estão desencanado dos heróis, apenas dos quadrinhos. Assim, por que não separar de vez as duas coisas e permitir que o cinema siga sua própria trajetória ?

Existe um motivo para esses heróis sejam tão populares. Eles nos ajudam a lidar com questões relevantes às nossas vidas.  Homem Aranha é uma reflexão sobre poderes e responsabilidades. Batman é um ensaio sobre noções de justiça, e da divisão da responsabilidade entre governo e indivíduo a fim de garantir a mesma.

Essas histórias não são necessárias para falarmos sobre questões tão profundas, mas elas ajudam. Nas culturas dominadas pela tradição oral, as mitologias fantásticas eram usadas para transmitir essas noções através das gerações. Afinal, é mais fácil lembrar detalhes de feitos homéricos do que mundanos.

Hoje, para nós, comunicação não é o problema. Mas engajamento sim. Se quisermos fazer um jovem pensar sobre poder e responsabilidade, podemos sentá-lo  numa  cadeira e dar-lhe uma aula. Ou podemos passar um filme do Homem Aranha. Qual será mais eficaz ?

 

Uncle Ben Coke

Esse novo Homem Aranha pode fazer quantas piadinhas quiser, mas se não contar uma história relevante, acabará como Andrew Garfield, que foi até melhor que o Tobey, mas não tinha nada a dizer.  Por isso, sempre lembraremos do Tobey

A guerra Civil dos Quadrinhos

Guerra Civil é uma história sobre impeachment nos super heróis. Discute os conceitos de heroísmo, e o que acontece quando estes são distorcidos. Uma briga entre heróis e vilões resulta na explosão de uma escola infantil na frente das câmeras ( porque, pra piorar o heróis não estavam sendo heróicos, mas gravando um reality show ).

A cagada homérica força a opinião pública que força o governo a fazer algo a respeito. Que faz : torna a  atividade de vigilante ilegal, a menos que os heróis tornem suas identidades públicas. Tony, o Homem de Ferro, representando o corporativismo americano, é a favor. Capitão América, representando os ideais puros sob os quais os EUA foram fundados, é contra. E eis a cisão.

Dinheiro e fama em lugar do amor ao próximo, liberdades individuais, corporativismo. É isso que torna a história relevante. Os heróis são símbolos.

E claro…boas histórias nascem de bons conflitos. Impedir alguém cuja função é ajudar a criar um mundo melhor é um conflito enorme. Por isso, o tema já foi tão abordado nos quadrinhos:

 

gráfico impeachment heróis-01

Impedir alguém cuja função é ( supostamente ) ajudar a criar um mundo melhor é um conflito enorme. Quem quiser um monumento disso no Brasil de hoje, que leia os jornais. Só espero que nossos futuros governantes tenham a grandeza do Super Homem para reconhecer quando não são mais necessários

Entre várias outras coisas, a Guerra civil dos quadrinhos representa um embate entre duas Américas. No filme, isso foi mequinhamente reduzido a “você bateu no meu amigo “. É chato ver o potencial de uma das melhores histórias da Marvel descartado como entretenimento barato. Não precisa ser assim.

E por outro lado,  as os histórias que poderiam ser só entretenimento, como o primeiro Capitão América ( que é um filme de guerra) Capitão América 2 (  de espionagem ), Homem Formiga ( roubo a banco ) vão sendo sacrificadas para manter a cronologia do Universo Cinematográfico da Marvel ( MCU ).  É  legal ver o Aranha fazendo piada e a galera se batendo no aeroporto, mas isso só funciona uma vez. Depois fica chato.

Os filmes de super herói têm tudo para seguirem firmes e fortes. Enquanto os personagens forem utilizados para nos dizer o que importa, sem problema. Mas se começarem a se transformar em baboseira e pancadaria sem sentido, daí sim a galera vai começar a pegar mau com o genêro. A única coisa que os filmes de super heróis têm a temer é : terem que ser filmes exclusivamente de super heróis.

Em suma…esse negócio da Marvel amarrar toda cronologia em seus filmes é legal, mas está tendo efeitos mais duradouros talvez do que seja bom.

Eu espero poder ver filmes de super herói por muito tempo. Para isso, é preciso deixar a história rolar. Por isso voto pelo Impeachment das histórias de super heróis.

Logo menos tem mais

Comentários