Entrevista: Fábio Yabu

fabio yabu trabalhando

Há alguns meses fui conferir a estréia da série ZICA E OS CAMALEÕES, no MIS, em SP, e vi o Fábio Yabu dando sopa num canto. Conhecia o trabalho dele já, com os Combo Rangers, Princesinhas do Mar e, sobretudo como Abu Fobia, pseudônimo que adotou para escrever a série de livros de horror em parceria com o pessoal do Jovem Nerd.

Sempre me intrigou como esse cara conseguia fazer tanta coisa tão diferente uma da outra. Eu tinha uma suspeita…então me aproximei sorrateiramente, e, na lata, perguntei; ” você é o Batman ? ” Ele riu, jurou que não, e aceitou partilhar sua trajetória em uma entrevista para o blog da  Mondo Vazio, onde ele falou sobre criação e mercado.

COM QUANTOS PROJETOS VOCÊ ESTÁ ENVOLVIDO ATUALMENTE  ? Com uma série de Tv ( animação ),como roteirista. Com a produção do próximo álbum dos Combo Rangers, com um livro juvenil, um game e um livro infantil. Acho que tá bom, né ?

NÃO É POUCA COISA. O QUE ESTÁ ESCRITO NO SEU CARTÃO DE VISITAS ? Não tenho um. Preciso fazer. Quando tenho que dizer o que faço, me apresento como escritor. Mas quando fizer um cartão, acho que terá só meu nome, email e Twitter.

COMO VOCÊ CONSEGUE FAZER TANTA COISA ( NÃO SENDO  O BATMAN ) ? Rsrs. Não é fácil. Tenho que administrar meu tempo muito bem. Não confundir procrastinação com busca por referência. E priorizar. E não perder o foco, algo fácil de acontecer,  na área criativa.

A NATUREZA ENTRE OS SEUS PROJETOS É BEM DIFERENTE…É fácil alguém recém apresentado ao meu trabalho considerá-lo desconexo, pois faço livro infantil, mas também faço terror.
Porém não acredito que alguém deva ficar preso a uma única referência. Eu gosto de Transformers, Poe, Lovecraft e My Little Poney. Como eu gosto de criar tanto quanto consumir, o resultado é bem diverso.

Fabio Yabu_Eu sei Kung FU

Não acredito que alguém deva ficar preso a uma única referência

 

E VOCÊ PARECE SE INSPIRAR NÃO SÓ NO CONTEÚDO QUE CONSOME, MAS TAMBÉM NA MÍDIA QUE O APRESENTA…Eu costumo adaptar a história à mídia que considero irá propagá-la com menos fricção. Literatura, animação ou quadrinhos. Eu sempre busco a mídia apropriada ou um projeto que eu possa bancar ( caso seja um projeto próprio ).

É PRECISO DE UM CONHECIMENTO EXTENSO PARA FAZER O QUE FAZ. NÃO SÓ ARTÍSTICO, MAS SOBRE DIREITOS AUTORAIS, GERENCIAMENNTO DE PRODUÇÃO, DISTRIBUIÇÃO… VOCÊ ESTUDOU FORMALMENTE OU APRENDEU NA RAÇA?  Foi muito por conta. Tive uma produtora por algum tempo. Comecei os Combo Rangers sozinho e conforme foi crescendo, fui adquirindo o know how. Tentativa e erro.

MUITA GENTE NÃO PRODUZ E PÕE A CULPA NA ECONOMIA, NO GOVERNO, NO SISTEMA. ESSES GARGALOS PRA VOCÊ, NÃO EXISTEM OU VOCÊ OS ENFRENTA ESTOICAMENTE ? Existem. Mas acho que o verdadeiro problema é a postura de depender de fatores exclusivamente externos, tipo editais. Embora haja muito dinheiro, não tem para todo mundo, e ao se bitolar nessa ideia, corre-se o risco de ficar anos com um projecto legal debaixo do braço. Acho que não é por aí.

Combo Rangers

 

VOCÊ JÁ PARTICIPOU DE ALGUM EDITAL ?Eu já inscrevi vários projetos; para livros, séries, quadrinhos. Uma única vez fui contemplado. No Animacultura. Mas não é uma coisa com a qual acho que deve se contar

VENDO DE FORA, PRINCESAS DO MAR PARECE SER SEU MAIOR FEITO. TIRAR UMA SÉRIE DE ANIMAÇÃO DO CHÃO, PRODUZÍ-LA EM GRANDE ESCALA E EMPLCÁ-LA NO MAINSTREAM NÃO É FÁCIL. COMO FOI ESSE PROCESSO ? Na época em que saiu o primeiro livro das Princesinhas eu tinha uma produtora. Como eu já imaginava a história contada através de animação, concebi todos os personagens com isso em mente. Com esse material, passei a percorrer as feiras de Tv no exterior e fechei com uma produtora australiana, a Southern Star. Depois, eles incorporaram a Neptune, da Espanha. No sentido do aprendizado foi ótimo. Claro que houve remédios amargos. De todas as partes, eu era a menor, o que me minimizava meu controle / liberdade criativo.

lindas princesas do mar

 

VOCÊ ESCREVIA ? Escrevia, aprovava. Foi um processo bem próximo

FICOU FELIZ COM O RESULTADO ?Fiquei feliz com ter uma série pronta, mas sinceramente, não foi tudo na série que me agradou. Algumas coisas ficaram aquém do que considero uma série perfeita. Mas valeu muito pelo aprendizado

QUAL O MELHOR MEIO DE PRODUZIR UMA SÉRIE ? TV OU INTERNET ? Minha primeira opção é internet. A  internet cresce a cada semana. A TV diminui na mesma proporção. Eu costumo brincar que se o seu canal de You Tube não der certo, você ainda pode tentar a tv. Rsrsrs.

FINANCEIRAMENTE, VOCÊ FICOU SATISFEITO COM O RESULTADO DE PRINCESAS DO MAR ? Como eu falei…eu era menor  parte envolvida. Não ganhei muito dinheiro, mas também eu já sabia que seria assim, não cheguei a me surpreender, tanto que eu continuei com minhas atividades normais, produzindo minhas coisas.

 

Capa de Independência ou Mortos

 

O QUE ACHA DO MERCADO CULTURAL POP NO BRASIL ? DÁ PARA VIVER SÓ DELE ?  É pergunta um pouco difícil, porque cultura pop envolve muita coisa; literatura, produção de cinema, de TV, e cada uma dessas linhas gera um tipo de retorno diferente, nem sempre proporcional ao esforço que você emprega. Eu costumo dizer que quadrinho, por exemplo, é a mídia mais ingrata que existe.

É um trabalho que você desenvolve com a menor equipe o possível; com poucos artistas e um roteirista no máximo. Dá um trabalho enorme e o retorno é pífio. Acho que as pessoas fazem quadrinhos por amor. No caso de Combo Rangers mesmo, que é um projeto que me dá muito prazer e possibilita bancar uma pequena equipe, ajudar esses caras a fazer uma carreira, até a pagar parte de suas contas. Eu acho que tem algo maior acontecendo. Mesmo que pra mim Combo Rangers não tenha um grande retorno financeiro, quando eu os faço,coisas boas acontecem.

 

Página de O Poderoso Combo

 

VOCÊ LICENCIOU OS PERSONAGENS DE COMBO RANGERS ? Eu licenciei na numa época. Saíram alguns brinquedos…Não foi mais do que isso.

VALE A PENA ALAVANCAR UMA PRODUÇÃO ATRELADA EXCLUSIVAMENTE A UMA ESTRATÉGIA DE LICENCIAMENTO ? Não, não vale a pena. Eu tenho falado isso em palestra e em consultorias que presto a empresas. Essa é uma das grandes falácias do áudio visual; ”  se você tiver um personagem de sucesso você vai licenciá-lo e vai recuperar o seu investimento em mídia “.

E não é bem assim. Um projeto de animação, um projeto de criação pra TV, pra qualquer mídia que seja, é um projeto de longo prazo. A venda de produtos, brinquedos e bonecos é um projeto, uma oportunidade, de curto prazo… você tem que aproveitar o dia das crianças, natal, etc., e a janela pra cada personagem, pra cada produção, está cada vez mais curta.

Por exemplo; se a criança ganhou Ovo de Páscoa do Bob Esponja no ano passado, não vai querer de novo esse ano. E mesmo que o público se renove, não é na  mesma velocidade que as produções se renovam, ou seja, ano passado você tinha um Bob Esponja, esse ano você tem três, e as crianças  vão querer outros tipos de brinquedos, personagens. É muito difícil você acompanhar esta demanda.

Em suma, eu vejo o licenciamento como uma oportunidade pontual, e não como uma estratégia que inclua desde a concepção do personagem até a veiculação, porque isso é um processo que vai durar quatro ou cinco anos. E você não pode antever o mercado de brinquedos esse tanto.

Fabio Yabu_Princesinhas

 

 

TEM SE FALADO MUITO EM UM CERTO BOOM DO MERCADO DE ANIMAÇÃO BRASILEIRO. VOCÊ ACHA QUE É  ALGO ORGÂNICO, QUE ESTÁ CRESCENDO NATURALMENTE DE BAIXO PARA CIMA ? OU ACHA QUE É ALGO BASEADO EM ESTRATÉGIAS IMPORTADAS QUE NÃO LEVAM EM CONSIDERAÇÃO NOSSA REALIDADE ? SERÁ QUE DAQUI A TRÊS ANOS VAMOS TOMAR DE SETE A UM ? Eu acho complicado se  basear num mercado externo. A Warner, por exemplo,  não tem somente os personagens.Tem também a máquina de produção, as cadeias de distribuição, seus clientes em licenciamento… tem cliente que só licencia a Warner. Não adianta você chegar com seu personagem, por melhor que ele seja, pois ele não vai licenciá-lo só porque você é legal.Você não consegue isso do dia pra noite…

ELES ESTÃO CRIANDO UMA CADEIA DE DISTRIBUIÇÃO HÁ SETENTA E CONCO ANOS… Exatamente. É muito bonito você olhar personagens e pensar ” vamos faturar tantos milhões em tantos anos com licenciamento “. Não vai,cara. Não vai. Ninguém tem bola de cristal. Se eu tivesse a grana eu não investiria nesse cara. Eu investiria no cara que ta numa produção pequena, que já tem um grupo formado, que está com a mão no seu público organicamente, isso faz sentido.

 

fabio yabu desenhando

 

MUDANDO DE ASSUNTO O QUE TEM VISTO RECENTEMENTE ?  Eu tenho assistido muita coisa relacionada a literatura adulta, True Detective, American Horror Story, Sherlock. Gosto muito de séries de mistérios.

E COM RELAÇÃO A PROJETOS. TEM MUITOS NA GAVETA ? Não tenho muitos não. Pra falar a verdade, é exatamente contra isso que eu luto.  Tento sempre manter uma produção coerente, e tento sempre manter a máquina girando.

VOCÊ MANTÉM A MÁQUINA GIRANDO PARA PODER GANHAR UM NOBEL, VIRAR MEME, APARECER NO JÔ ? OU O FOCO É SIMPLESMENTE PRODUZIR ?  Produzir. Quando eu faço um projeto legal, quando eu crio personagens legais, histórias legais, coisas boas acontecem comigo, com minha família, com o mundo. Muita vezes não tem nada a ver com dinheiro, pois o que vem antes disso, e depois, é muito maior.

 

Comentários