Quando a mulher é interessante, ser gostosa é secundário. A beleza interessa nos primeiros 15 dias mas depois se desenrola em triste tédio visual.

Isso é na vida real. Em desenhos animados o que funciona mesmo é o visual, melhor ainda se absurdo. Por isso, as melhores mulheres da animação são absurdamente gostosas e extremamente sedutoras. Segue uma lista daquelas que representam a síntese da mulher de verdade em desenho animado. Algumas, além de gostosas, também são interessantes. O que é imprescindível em uma mulher de verdade na vida real e que em animação, convenhamos, é mero bônus.

1. Striperella

Uma mistura entre Pamela Anderson, que fazia as vozes e era consultora criativa ( seja lá o que isso for),  e paródia de super herói . Como Clark Kent , Erotica Jones tinha um emprego normal e, ao sinal de perigo, virava super. Bem diferente de Clark, Erotica fazia striptease com direito a  hora extra.  Às, vezes, durante a ação, recebia uma ligação ( seu piercing no umbigo vibrava ), então trocava uma roupa de couro por outra, e saía para outro tipo de ação,  mais recomendável aos abaixo dos dezoito.

Striperella foi uma criação de Stan Lee. Ultrajando o bom senso, o resultado não foi ruim. Ao contrário. Os roteiros eram bons e era possível rir de várias piadas. O exato oposto da bomba protagonizada por Pamela Anderson anos antes, baseada em uma história em quadrinhos : Barb Wire. Sorte dos que não viram.

2.Aeon Flux

As formas distorcidas da arte de Peter Chung e seus ângulos pouco ortodoxos as vezes deixavam dúvidas se Aeon eram de fato boazuda. Mas Roliúde confirmo que era sim pois  quando transformada em carne e osso, chamaram logo a Charlize.

Mas Aeon era uma dessas mulheres que metia medo. Nunca sabíamos o que tinha na cachola, o que faria conosco em um quarto escuro. Não que fosse louca, mas parecia adepta a perversões sado maso que iam contra ao que a mãe, igreja, escola e Rede Globo ensinaram.

 Você deixaria essa moça te amarrar a numa cama ?

3.Holli Would

Holli foi personagem de um filme do mestre Bakshi, Mundo Proibido, que veio depois de Roger Rabbit. Muitos disseram que Bakshi tentou capitalizar na onda do coelho de desenho que andava com humanos, sem saber que as experiências mais extremas nessa área haviam sido resultado de trabalhos do próprio Bakshi, que fizera filme com gente e desenho vários anos antes, com Heavy Traffic e Coonskin.

Mas eu falava de mulher e Cool World nos deu Holi, a versão animada de Kim Basinger na época em que a loira ainda era o que havia. Como Jessica, Holli vivia na balada, porém não por labuta. Também, diferente da ruiva, Holli não se ligava em matrimônio e coisas assim. O que ela curtia mesmo era sexo. O problema é que para poder sentir os prazeres da carne, ela tinha que virar humana. Segundo as regras de seu mundo, isso era possível fazendo sexo com um humano. Assim, atraiu seu criador ( um quadrinista esquizofrênico ) para dentro do mundo proibido a fim de traçar o cara, virar humana e traçar mais caras. Por isso, não é um absurdo dizer que o que Holi mais queria na vida era dar. No mundo fictício, Holli, sim, era mulher de verdade.

4. Jessica Rabbit

Jessica tem o estereótipo da infiel ( mulher muito gostosa e melancia ninguém come sozinho, dizem ). É o que todos pensam dela em Uma Cildada para Roger Rabbit. E no fim, pagamos com a língua ao descobrir que o amor dela com o marido é muito mais sério do que pensávamos, porque terno.

Mas que se dane a ternura. Que Homem não quer pegar uma gata ruiva de peitos e bundão, que canta num cabaré e ainda por cima, cujo marido é um bocó ?

Jessica era uma dessas mulheres que andam na linha e sofrem por serem gostosas demais. Só restava à mocetuda se justificar: ” Eu não sou má, só sou desenhada assim. Pobre Jessica.

Jessica Rabbit, animada por Russel Hall, sob supervisão de Richard Williams. Alguém mais aí ficou com cara de Eddie Valiant quando viu isso no cinema ? Participação especial de Betty Boop.

5. Betty Boop

Betty Boop sempre foi um enigma para mim. Ela vem de um tempo onde ainda havia pudor e contudo, o que mais fazia era exercitar a safadeza, embaralhandos as cabeças masculinas com sua suposta inocência. Ou seria mesmo pura ? Difícil saber. Rebolava, parava, dizia alguma olulante obviedade do tipo : as pessoas que se mudaram dessa casa já não moram mais aqui, e voltava a rebolar. Era a burra que dava a entender que era facinha por não se saber gostosa.  Ou talvez, a safada se fazendo de burra.  Difícil saber. Afinal, mulheres podem ser dissimuladas.

A figura de Betty não é bela ( se bem que, ao menos em foto, as mulheres de verdade da época também não são ), mas acreditamos que ela seja gostosa. Se bem que nunca ouvi homem algum dizer “eu comia essa Betty”  ( diferente de Jéssica ). Outra coisa é que mulheres sempre gostaram mais dela do que nós homens. Sei lá. Betty Boop continua sendo um enigma para mim. Mas sem dúvida merece estar na lista pela provável safadeza.

Por hoje é só, pessoal.

ps. Menção honrosa às formosuras de Baronesa dos G.I.Joe, Cheetara, Betty ( Rubble ), com o devido respeito ao Barney  e à boneca do volante Penèlope Charmosa

Comentários